Home » » Amostragem Básica – Aplicação em Auditoria

Amostragem Básica – Aplicação em Auditoria

Written By Tech Solutions on quinta-feira, 2 de julho de 2015 | 13:50

Capacitação em técnicas de Amostragem Estatística para realização de trabalhos de auditoria por meio de realização de exercícios e utilização de aplicativo eletrônico desenvolvido especificamente para esse fim.
Carga horária: 14 horas-aula.

_____________________________________________________________________________________

Quando um trabalho exige a realização de um levantamento de dados para uma avaliação (ou, simplesmente, uma checagem) a primeira ideia que pode ocorrer é a de examinar todos esses dados.
Em uma análise automatizada, ou seja, feita unicamente pelo computador, provavelmente se poderá fazê-lo.  Porém, essa não é uma regra geral.
Em muitas situações típicas de uma Auditoria, é necessário o deslocamento do auditor para o exame in loco do objeto de seu trabalho e, nessas circunstâncias, os custos envolvidos e o tempo estipulado para a realização do trabalho são limitadores naturais que inviabilizam a verificação de grande número de itens.  Em outros casos, mesmo sem deslocamento, não será possível verificar tudo o que existe.  
Em ambas as situações, é preciso estar seguro acerca do que se pode ou não concluir a partir da amostra retirada.  Como solução, apresentamos as técnicas de Amostragem Básica, privilegiando uma abordagem sobre as questões vivenciadas por auditores, inspetores, controllers e fiscais.
Em um mercado que lhes exige cada dia mais a capacidade de elaborar conclusões inquestionáveis e "defender" tecnicamente seus pareceres, esses profissionais têm neste treinamento uma oportunidade de aprender, de forma simples e desmistificada, os métodos de Amostragem para obtenção de resultados quantitativos precisos e confiáveis.


Benefícios


As técnicas de Amostragem são sempre necessárias quando se deseja obter conclusões quantitativas sobre um conjunto de itens sem que seja possível observá-los em sua totalidade.  As pesquisas de intenção de voto são um exemplo bastante popular, mas existem inúmeras outras situações em que esses métodos permitem generalizar resultados encontrados em uma amostra, graças ao suporte oferecido pelas fundamentações estatísticas.

Apresentadas de forma numérica, essas generalizações ficam muito mais palpáveis, possibilitando análises de performances ao longo do tempo e conclusões seguras para tomadas de decisão.

Além da economia de recursos e da qualidade dos resultados, a metodologia de amostragem estatística tem ainda outras vantagens:

• Facilita a determinação de uma amostra eficiente; ,

• Mede a suficiência da matéria da prova;

• Facilita a avaliação dos resultados da amostra;

• Possibilita a quantificação dos riscos de amostragem; e

• Permite mensurar objetivamente a confiabilidade dos resultados


Resultados obtidos


Os participantes deste treinamento conhecerão:
- os métodos de amostragem e as situações em que podem ser aplicados;
- as práticas e termos técnicos fundamentais;
- as vantagens e desvantagens de amostragens estatísticas e não-estatísticas;
- os procedimentos de dimensionamento e seleção de uma amostra estatística;
- o mecanismo de cálculo do resultado de uma amostragem estatística; e
- a forma de expressar, entender e documentar esse resultado e as estratégias implementadas


Principais tópicos abordados no treinamento


Visão Geral
Benefícios
Objetivos
Cuidados com o questionário (papel de trabalho)

Fundamentos
Parâmetro a estimar
Inferências
Escopo
Estratificação – definição, prós e contras

Planejamento
Elemento amostral e população
Moldura de Amostragem (fonte)
Pesquisa de trabalhos anteriores
O número de estimações independentes em proporções

Delineamento
Variabilidade
Estimativas para a variância
Margem de Erro
Nível de Confiança
Análise de possível estratificação

O cálculo do tamanho da amostra
Utilização do delineamento e do planejamento          
Variâncias e custos em populações estratificadas        
Populações pequenas
Ponto de estagnação

Seleção da amostra
A vantagem da aleatoriedade
Métodos Estatísticos
Métodos Não Estatísticos
Erros comuns a serem evitados

Resultados
Estimativa
Erro Amostral
Intervalos de Confiança
Significado dos intervalos
O Plano Amostral  

Professor

Paulo Henrique F. C. Oliveira

Autor do livro “Amostragem Básica – Aplicação em Auditoria”
Editora Ciência Moderna – Rio de Janeiro

Graduação
Escola Nacional de Ciências Estatísticas ENCE/IBGE Rio de Janeiro, RJ
Bacharel em Estatística- 1994

Especialização (Latu Sensu)
Universidade de Brasília – Unb Brasília, DF
MBA em Métodos Quantitativos Aplicados à Gestão e Suporte Empresarial 1999/2000

Atuação Profissional
Auditor Sênior do Banco do Brasil S.A.
Especialista em Tecnologia de Amostragem, tendo, desde 1998, assessorado a realização de trabalhos de amostragem, tanto de cunho regional como nacional, os quais envolveram atividades de auditoria nas áreas de: Rede de agências, Prevenção e combate à lavagem de dinheiro, Avaliação de créditos, Registros eletrônicos, Negócios Internacionais, Sistemas informatizados, e Mercado Financeiro.
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 
Tech Solutions: Brasília: Ed. Multiempresarial SRTV SUL Qd 701 Bl O, Sala 885,Cep: 70340-000 -(61)3224-9874/(61)3202-9874 - contato@it-tech.com.br - São Paulo:Rua Francisco Marengo 1663,Tatuapé - Cep: 03313-001